31.5.06

Timor-Leste: textos importantes

"Incha, rebenta, desincha e depois passa!..."O meu melhor amigo timorense ensinou-me muitas vezes que aquilo que aos nossos olhos "malais" parece nem sempre (quase nunca...) é.De facto, diz ele, a dramaticidade própria que colocam nas coisas faz com que quando parece que o mundo vai explodir, acabam por encontrar, com muita conversa pelo meio --- táctica característica de sociedades sem escrita própria e em que a palavra é tudo ---, um ponto de encontro em que todos ficam satisfeitos por, nomeadamente, lhes permitir salvar a face e não dar a ideia de que há um perdedor e um ganhador. Todos terão de encontrar uma solução em que todos ganhem qualquer coisa. Essa coisa do "the winner takes it all" não é com eles. (Esta terá sido a regra fundamental de que Mari e a FRETILIN se esqueceram desde o início e cujo 'esquecimento' é provavelmente, como dizia o Duarte Pacheco Pereira, "a madre de todalas cousas"!... O resultado está à vista).Tudo se passa como num abcesso: face a uma agressão ele incha mas depois desincha e depois passa... A situação nunca voltará a ser como dantes mas todos ficam satisfeitos.Será isto que vai resultar do Conselho de Estado? Com tanta conversa entre os conselheiros, parece que o método tradicional do "a conversar é que a gente se entende" vai, mais uma vez, produzir os seus frutos.Se for, haja Deus!...Até porque, na realidade, Xanana parece ser a única pessoa em condições de "apanhar os cacos" que restam das forças de segurança. Mas mesmo ele vai precisar de muita cola. E da boa! Daquela que prega cientistas ao tecto!PS - aposto que se esqueceram de distribuir pastéis de nata na reunião!... Se os tivessem distribuído já tinham acabado o "conversé"...Manuel Leiria de Almeida in Do Alto do Tatamailau, 26 de Maio de 2006